• adautossilva

Vizinhos fecham as fronteiras com o Brasil a partir de Tabatinga

Somente após vizinhos fecharem as fronteiras em Tabatinga com as cidades de Letícia na Colômbia e Santa Rosa no Peru, o presidente Jair Bolsonaro resolveu abrir os olhos e anunciou nesta terça-feira, que a fronteira com a Venezuela será parcialmente fechada.

Desde a madrugada desta terça-feira (17) a fronteira entre as cidades de Tabatinga no Amazonas e Letícia na Colômbia está fechada por determinação do presidente colombiano Iván Duque.

A medida serve para todas as outras fronteiras do país. A ação preventiva tem como objetivo restringir a entrada de estrangeiros para tentar evitar a disseminação do novo coronavírus em território colombiano. A fiscalização está sendo feita pela Polícia Nacional, Exército Colombiano e Setor de Imigração.

O Governo do Departamento do Amazonas Colombiano informou que os brasileiros poderam cruzar a fronteira a pé para Letícia, mas motos e carros terão que ficar em Tabatinga. A determinação do Governo Federal colombiano deve encerrar somente no dia 30 de Maio. Até o momento as autoridades locais não confirmaram nenhum caso positivo da COVID-19 na região da tripce fronteira.

O Peru também fechou a fronteira com o Brasil entre a ilha de Santa Rosa e Tabatinga-AM. Desde o início da semana ( 16) a entrada e saída do pequeno povoado estão proibidas por determinação do presidente peruano Martín Vizcarra.

A medida serve para todas as fronteiras do país. Por causa da pandemia do novo coronavírus cerca de três mil e quinhentas pessoas estão em isolamento na ilha. A fiscalização é feita por militares da Marinha no rio Solimões. Somente o transporte de alimentos está autorizado. Alguns moradores reclamam que a restrição tem prejudicado o trabalho de sessenta canoeiros que fazem o transporte de turistas entre Santa Rosa, Letícia na Colômbia e Tabatinga no Brasil. " E agora tem muita gente aí com os braços cruzados,sem trabalho,sem emprego, tá um pouco difícil a situação" desabafou o canoeiro Elder Silvano. O mototaxista Theodoro Selis disse que se não adoecer do novo coronavirus, vai morrer de fome : " Ninguém pode trabalhar, mas o problema é de onde que a gente "vamos" tirar o dinheiro pra comprar a comida". As viagens de lancha para Iquitos foram suspensas após a cidade peruana confirmar um caso positivo da COVID - 19. " Não pode viajar nem turistas, somente pode levar carga daqui pra lá ou de lá pra cá" relatou o empresário peruano Boris Corrêa que aguardava a chegada de mariscos para o seu restaurante em Tabatinga. A liberação das fronteiras no Peru está prevista para o início de Abril. Por Rôney Elias

©2019 Portal de Notícias@.com / Por Adauto Silva

  • Ícone preto do Facebook
  • Ícone preto do Twitter
  • Ícone preto do Pinterest
  • Ícone preto do Instagram