Buscar
  • adautossilva

Pablo Pietro - Vai a júri popular crime que comoveu o Amazonas em 2015

Crime de grande repercussão popular, a morte do menino Pablo Pietro, que na época tinha 4 meses, chamou atenção pelo envolvimento direto dos pais que na época eram moradores de Manacapuru, o desaparecimento da criança e as controvérsias nas história relatadas por Josias e Cleides. Essa história que teve como vítima uma criança de 4 meses, será levada agora a júri popular, tendo como acusado pelo homicídio, Josias de Oliveira, o pai do bebê. Outro acontecimento que colocou o homicídio em foco novamente foi a prisão, nove meses depois de Cleudes, por encolhimento com o tráfico de drogas.

Está marcado para iniciar às 9 horas desta quarta-feira, 19/02, o julgamento de Josias de Oliveira Alves, acusado de jogar o filho de, então, 4 meses, no Rio Negro. O fato ocorreu em agosto de 2015 e a criança morreu. O fato teria ocorrido após uma briga entre os pais da criança.

O júri popular será presidida pelo juiz titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Celso Souza de Paula, no Fórum Ministro Henoch Reis, bairro São Francisco, zona sul de Manaus. A acusação será do Ministério Público Estadual (MPE-AM) através do promotor de Justiça José Augusto Palheta Taveira Júnior e o réu terá como advogado de defesa Josemar Berçot Júnior A sessão contará com o depoimento de cinco testemunhas apontadas pelo Ministério Público e duas do Juízo da 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus. Josias de Oliveira Alves é acusado de jogar o filho de quatro meses, Pablo Pietro, no rio Negro, após uma briga com a mãe da criança, Cleudes Maria Batista, em agosto de 2015.

O casal teria discutido por causa do pagamento de pensão alimentícia. Acusação Josias está sendo acusado de homicídio triplamente qualificado – pela morte da criança – nos termos do art. 121, 2º, I (motivo torpe); III (meio cruel); IV (recurso que impossibilitou a defesa da vítima), combinado com art. 61, II, ‘e’ (contra descendente) e ‘h’ (contra criança), do Código Penal Brasileiro. O réu é acusado, também, por tentativa de homicídio quintuplamente qualificado – em relação à ex-companheira – tendo sido enquadrado no art. 121, 2º, I (motivo torpe); III (asfixia); IV (recursos que dificultou a defesa); VI (feminicídio); combinado com o art. 14, II, todos do Código Penal Brasileiro. Fatos que também chamaram atenção no caso Nove meses após o crime, Cleudes Maria foi presa suspeita de tráfico de drogas

Cleudes Maria Batista de Moraes, 22, mãe do pequeno Pablo Pietro, de quatro meses, que morreu depois de ser jogado no Rio Negro em 14 de agosto de 2015, foi presa na tarde dessa terça-feira (10/05/16), por tráfico de drogas. A prisão ocorreu no município de Manacapuru (a 69 quilômetros de Manaus).

Cleudes foi posta em liberdade posteriormente e Segundo amigos se regenerou socialmente e leva uma vida normal.

©2019 Portal de Notícias@.com / Por Adauto Silva

  • Ícone preto do Facebook
  • Ícone preto do Twitter
  • Ícone preto do Pinterest
  • Ícone preto do Instagram