• adautossilva

O adeus a Binho foi marcado pela comoção da família e a crueldade do coronavírus

Apenas dois homens da equipe do funeral, totalmente equipados, tiveram acesso ao caixão durante o deslocamento e sepultamento do músico

O sepultamento do músico Robson Lopes, que faleceu na noite desta segunda-feira, 30/03, mostrou a comoção da família é a crueldade do coronavírus para suas vítimas fatais. Binho Lopes, como era conhecido no mundo artístico, após dar entrada no hospital Delphina Aziz, em Manaus, foi para uma UTI depois que ficou comprovado que estava com coronavírus e de lá saiu somente para sepultamento.

Desde sua entrada na UTI, Binho ficou afastado da família é não mais teve contato pessoal com seus entes queridos e amigos. Após sua morte, diagnosticada como complicações da covid-19, o músico teve um enterro rápido, caixão lacrado e longe dos olhares de amigos e alguns familiares que suportaram a ida até o cemitério, para o último adeus, mesmo que fosse a distância. A mulher é filho do músico, não foram ao sepultamento e além deles, outros parentes que tiveram contato cBicomnho também cumprem isolamento social. O sepultamento foi marcado pelo sentimento dos parentes e amigos de não poder tê-lo visto dias atrás e no último adeus não poder se quer tocar em Binho.

©2019 Portal de Notícias@.com / Por Adauto Silva

  • Ícone preto do Facebook
  • Ícone preto do Twitter
  • Ícone preto do Pinterest
  • Ícone preto do Instagram