• adautossilva

Estado desencadeia campanha de combate à dengue e a doenças transmitidas pelo Aedes áegypti

O Governo do Amazonas prepara uma campanha publicitária de orientação para a população sobre prevenção às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti – dengue, zika e chikungunya. Prevenção, alerta aos sintomas das doenças e orientação à população sobre onde buscar assistência são o foco da campanha, que está sendo desenvolvida com orientações da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

Este ano, a campanha será direcionada também aos municípios do interior que têm focos do mosquito Aedes aegypti e registro de dengue. Para estes, a FVS adquiriu e está distribuindo 17 mil capas protetoras para caixas d’água. A medida é uma importante ferramenta para os municípios que possuem como depósito predominante as caixas de armazenamento de água, que serão priorizados para receber a doação por meio das secretarias municipais de Saúde. De acordo com o último Boletim Epidemiológico da FVS sobre as Arboviroses transmitidas por Aedes aegypti, 7.206 casos de dengue foram notificados em 2019 no estado. Não houve registro de óbitos pela doença em 2019 no Amazonas. O Laboratório de Saúde Pública (Lacen-FVS) identificou que 80% dos casos confirmados foram de dengue tipo 1, e 20% de dengue tipo 2. Em relação à chikungunya, 191 casos foram notificados em 2019, e 108 casos de zika vírus. Hoje, o Amazonas possui 45 municípios com a presença do mosquito transmissor de dengue, zika e chikungunya, e o período com risco de aumento de casos segue até maio, simultaneamente com a intensificação das chuvas no Amazonas. “Com a epidemia por dengue vivenciada no país, em que foram registrados mais de 1,6 milhões de casos e quase 700 óbitos, o nível de alerta no Amazonas também aumentou. Por isso, a necessidade de intensificar as ações de prevenção e controle”, disse a diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto. A melhor forma de combater o mosquito, de acordo com o diretor técnico da FVS-AM, Cristiano Fernandes, é cada pessoa dedicar dez minutos semanais da sua rotina para verificar possíveis depósitos de água parada. “O mosquito aproveita todos os espaços que possam acumular água, portanto, neste momento, é essencial esse compromisso de combater esse vetor que faz tanto mal à saúde”, disse. Interior – Os municípios que apresentaram o maior número de casos de dengue são: São Gabriel da Cachoeira, com 1.129; Guajará, com 1.055 casos; Carauari, com 840 casos; Tabatinga, com 596 casos; e Eirunepé, com 48 casos. O chefe do Departamento de Vigilância Ambiental, Elder Figueira, salienta que equipes da FVS-AM realizaram visitas técnicas aos municípios. “Ainda em 2019, a supervisão foi realizada em São Gabriel da Cachoeira, Carauari e Tabatinga, e este ano está programada a ida nas próximas semanas a Guajará e Eirunepé”, explicou. Rotina semanal – A limpeza dos recipientes de água deve ser realizada pelo menos uma vez na semana, com água e sabão, esfregando bem para a remoção de possíveis ovos. A FVS recomenda o cuidado redobrado com o lixo doméstico e recipientes plásticos que, quando inadequadamente descartados, acumulam água e se tornam criadouros do Aedes aegypti. FOTOS: Divulgação/FVS

©2019 Portal de Notícias@.com / Por Adauto Silva

  • Ícone preto do Facebook
  • Ícone preto do Twitter
  • Ícone preto do Pinterest
  • Ícone preto do Instagram