• adautossilva

Índios isolados mostram que não querem acordo e matam indigenista com flechada no peito



Um dos principais indigenistas em atividade no país, com cerca de 30 anos de experiência na Funai (Fundação Nacional do Índio), Rieli Franciscato, de 56 anos, foi morto nesta quarta-feira (9) com uma flechada no peito ao se aproximar de um grupo de indígenas isolados. Ele tentava evitar um atrito entre os isolados e a população não indígena que presenciou o aparecimento repentino dos indígenas em um sítio na zona rural de Seringueiras, em Rondônia.


Rieli era considerado um dos mais experientes indigenistas no trabalho de monitoramento dos grupos isolados no país e um dos principais defensores dos isolados em atividade no país, além de ser uma referência para os servidores mais jovens. Sua morte causa comoção entre os servidores da Funai e indigenistas.

Segundo relatos no final da manhã, a Polícia Militar recebeu um telefonema sobre o aparecimento dos isolados perto de um sítio em Seringueiras. À tarde, Rieli foi ao posto policial e pediu apoio para ir à região e checar o que tinha acontecido. Desde junho, quando o grupo conhecido como "Isolados do Cautário" apareceu em Seringueiras, a Funai atua para evitar conflitos entre isolados e não indígenas e também impedir a contaminação pelo novo coronavírus.


Veja mais em Indigenista referência na Funai é flechado e morre em Rondônia - https://noticias.uol.com.br/colunas/rubens-valente/2020/09/09/ingigenista-indios-isolados-funai.htm

Nesse momento, segundo o PM, já dentro da terra indígena, Rieli começou a subir num pequeno morro para observar a região de um ponto mais alto. "A gente só escutou o barulho da flecha, pegou no peito dele, aí ele deu um grito, 'oi', arrancou a flecha, voltou para trás correndo, ele conseguiu correr de 50 a 60 metros e caiu praticamente morto. A gente conseguiu deslocar ele para a viatura, que estava na estrada, viemos para trazer ele no hospital mas ele chegou sem vida. E o nosso amigo se foi, infelizmente."

©2019 Portal de Notícias@.com / Por Adauto Silva

  • Ícone preto do Facebook
  • Ícone preto do Twitter
  • Ícone preto do Pinterest
  • Ícone preto do Instagram